• Confira as vantagens que o Bruno Nuzzo teve em sair da empresa compartilhada

    Nuzzo Consultoria em Tecnologia

    Bruno Nuzzo já tinha atuado como PJ.

    Mas depois de um tempo como CLT, pela demanda do mercado, Bruno acabou entrando no modelo de empresa compartilhada.

     

    Além da bomba-relógio que é a empresa compartilhada, pois nunca se sabe o que os outros sócios e o "administrador" podem gerar de problemas, o total de impostos pagos geralmente é maior que numa empresa própria.

     

    No início de 2018, Bruno estava pagando algo em torno de 15,30% de impostos totais sobre o faturamento e contribuindo com pró-labore pelo mínimo do INSS.

    Redução de 30%

    A parceria com a Manassés Contabilidade Estratégica tem feito o Bruno Nuzzo economizar uma boa grana com impostos e ainda está garantindo um futuro melhor pois contribui com muito mais para o INSS mensalmente

     

    Hoje ele paga em média 6,30% de impostos sobre o faturamento e contribui com pró-labore pelo teto do INSS

     

    Detalhe: Ele também fatura para o Exterior, e nesse caso paga 3,05% de impostos sobre o faturamento, e não 7,68% como pagaria na empresa compartilhada

All Posts
×
Fale com a Gente Fale com a Gente