Empresa Compartilhada: NÃO compre esta ideia

Entenda os problemas que você pode ter, inclusive na Pessoa Física por participar de empresas compartilhadas

Economia compartilhada.

Hoje em dia é comum o compartilhar. Temos ótimas plataformas que funcionam muito bem e tendências de que cada vez mais os bens e serviços serão compartilhados.

Netflix, Spotify, Uber são apenas exemplos rápidos que podemos citar. Uma assinatura pode ser compartilhada, uma "corrida" pode ser dividida com outros usuários no mesmo veículo e por aí vai.

Mas, algumas coisas, como uma empresa, é muito complicado compartilhar.

O que é empresa compartilhada?

Resumidamente, é um modelo onde o contador aparece como sócio principal e inclui outros sócios (que na verdade, seriam seus clientes) na empresa já existente.

Algumas facilidades são oferecidas, por exemplo, CNPJ já existente, redução de custo de manutenção, de tarifas bancárias e de não precisa pagar os impostos, pois teoricamente o contador é o administrador da empresa e responsável por isso também.

*Existem outros modelos, de profissionais de uma mesma área que realmente são sócios no negócio e o contador não aparece. Não é esse o caso em tela, podemos falar disso num outro post.

Aqui falamos principalmente de Empresa Compartilhada de TI

DESVANTAGENS

Muitas questões importantíssimas são ignoradas nesse modelo e muitas vezes o cliente (ou sócio) não é bem orientado.

1. Responsabilidade compartilhada

De longe a principal desvantagem.

Como ser sócio de estranhos, desconhecidos?

Por mais que sejam pessoas idôneas, partimos do princípio que sim, como garantir 100% que ninguém terá um processo judicial?

E como sócio de uma empresa, você será responsável por impostos não pagos, declarações não entregues e quaisquer outras pendências.

2. Maior carga tributária

Para atuar como PJ é importantíssimo que seja feito um planejamento tributário adequado, pois os impostos variam muito, de 6% a 20% sobre o faturamento pelo menos.

Mas na empresa compartilhada não dá para planejar.

Via de regra, você vai pagar de acordo com o regime tributário que a empresa já está enquadrada, geralmente Lucro Presumido, 13%, 15% e que geralmente é mais caro do que você poderia pagar em uma empresa própria.

Veja o exemplo do nosso cliente Bruno Nuzzo que saiu desse modelo de empresa compartilhada

https://www.manassescontabilidade.com.br/nuzzo-consultoria

3. Propaganda enganosa

Aquilo que é vendido como "vantagem" não é exatamente assim.

Entrar numa empresa já existente: Hoje em dia abre-se um CNPJ do dia para a noite, muito rapidamente.

Redução de tarifas: Muitos bancos possibilitam abrir conta corrente jurídica sem tarifa mensal e com vários serviços de qualidade.

Sócio ou cliente? A relação de consumo é desvirtuada, pois você se torna "sócio" do contador e não cliente de um escritório de contabilidade. Isso é muito sério juridicamente

Redução na manutenção mensal: Ora, se é cobrado 10% a menos de cada sócio para administrar uma única empresa, então não teve redução. Na verdade vende-se uma mesma casa para várias pessoas e entrega-se um cômodo para cada um.

Pagamento de impostos: Deve-se acender um sinal amarelo para você sempre que alguém oferecer pagar os seus impostos. Não caia nessa!

Recentemente (2019) muitos profissionais de empresas compartilhadas estão tendo problemas com atraso de pagamentos, inclusive bloqueio de contas bancárias e prejuízos enormes.

Se esse for o seu caso, entre em contato conosco e veja como podemos te ajudar, assim como temos ajudado muitos profissionais a regularizem sua situação

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK